SAC LOJAS: (12) 3925-2627 | SAC E-COMMERCE: (12) 3932-1455

Não sabe combinar gravatas? 4 dicas para se tornar um expert!

combinar gravata

Seja para o trabalho ou para uma ocasião especial, é fato que todo homem tem pelo menos uma gravata. Ela é um acessório que, na seriedade e na formalidade da camisa social, transmite a sua personalidade para o look.

Só que, ao contrário do que muitos pensam, combinar gravatas é bastante fácil. Para isso, basta prestar atenção a alguns detalhes e entender as regras básicas de nós, cores, estilos e modelos.

Aproveite este post para tirar todas as suas dúvidas e fique esperto para fazer bonito na próxima oportunidade:

Regras básicas para como combinar gravatas

O 1º passo é saber que nem todas as cores, modelos e estampas combinam entre si. O 2º é que, na dúvida, a melhor opção deve ser a mais básica e clássica. Pronto.

A escolha do acessório deve ser feita levando em consideração o seu estilo e as suas preferências.

Se você está começando a montar o seu estoque, pode ser uma boa fazer uma pesquisa sobre como se vestem os seus ícones de estilo e tentar copiar, adaptando para a sua realidade.

Vale lembrar que, quando pesquisamos o uso que as celebridades fazem ao combinar gravatas, pode ser o resultado mais para um figurino do que para um look na vida real.

Uma pergunta que muitos fazem é o que comprar/combinar 1º: terno, camisa ou gravata? A resposta pode variar de acordo com a ocasião.

É mais importante fazer uma boa mistura dos elementos do que se preocupar com a ordem de compra ou de combinação.

Dicas para combinar gravatas

1. Com a roupa

Se você trabalha ou precisa usar o terno, é importante prestar atenção à combinação de cores. Se a cor do terno é forte, é melhor optar por uma cor neutra na gravata e vice-versa.

Esse contraste é apenas para criar um ponto focal, e não para criar uma confusão a partir de 2 tons fortes.

Veja 2 exemplos de looks:

  • se você quer apostar num terno verde, use uma gravata bege, preta ou marrom;
  • se você escolheu uma gravata vermelha, que o terno seja preto ou azul-marinho.

Também é interessante pensar em contraste claro-escuro com a cor da camisa.

No caso de camisa, gravata ou terno estampado, pode ser um pouquinho mais complicado. Mas nada impossível: use a camisa de cor mais clara do que a gravata e não misture mais do que 3 tons diferentes.

Ternos com riscas de giz devem ser usados com camisas lisas, e as gravatas podem ser xadrez ou listradas na diagonal.

Para misturar estampas:

  • listras com listras (podendo mesclar o sentido);
  • camisa xadrez pequena (vichy) com listras largas;
  • camisa xadrez tradicional com bolinhas, listras finas ou micro-estampas.

E uma dica preciosa: combine sempre estampas maiores com estampas menores.

Agora você deve estar se perguntando: “e se eu não for usar terno, mas sim camisa e calça?”. A resposta depende da camisa.

Camisas lisas obedecem à mesma regra já citada, lembrando de combinar com a cor da calça — como se fosse um terno.

2. Com os acessórios

Outra questão bem comum na hora de montar o look com gravatas é no que diz respeito aos acessórios. Afinal, o que fazer com cintos, relógios, prendedores e suspensórios?

No caso dos cintos, a regra clássica é combinar com a cor e material dos sapatos. Mas hoje em dia há a possibilidade de misturar tons e estilos.

Só que vale lembrar que, ao combinar gravatas, é preciso cuidado para criar apenas um ponto focal. Então, se vai de cinto e de sapato dourados, a gravata deve ser neutra.

No que diz respeito aos relógios, a questão é mais simples: vale mais combinar com o estilo do look. Vai optar pelo clássico para o casamento? O relógio segue a tendência.

No caso de relógios coloridos, vale a regra da combinação: crie apenas um ponto de contraste no look para evitar o excesso.

Já os prendedores, superelegantes, não combinam muito com situações formais. Eles valem para looks de trabalho (sobretudo pela sua praticidade).

Use-os na altura correta: 20 centímetros acima da ponta da gravata, prendendo-o à camisa.

Ao combinar gravatas e suspensórios (sem cinto, sempre!), existem algumas variações para não errar: aposte na combinação com tons próximos ao da gravata. E lembre-se de que modelos grossos são mais formais; os finos, informais.

3. Com os modelos

Há quem pense que são apenas 2: borboleta e tradicional. Mas, na verdade, existem diversos tipos.

É importante ver o colarinho da camisa na hora de escolher. Colarinhos pequenos são melhores para todos os tamanhos de borboleta. Golas clássicas servem mais para os modelos tradicionais.

E, mesmo dentro dos tradicionais, há diversos tipos, variando na espessura (5 a 9,5 centímetros) e pontas.

Os modelos slim, com pontas retas, são parte do estilo retrô que vem se popularizando. Funciona em looks mais informais e descolados.

Já os modelos de 6,5 a 8 centímetros dão um ar moderno à composição, bom para quem quer arriscar um pouco na combinação. Já as que têm entre 8 e 9,5 centímetros são as mais clássicas.

E vale lembrar: a sensação de aperto no pescoço raramente é resultado da gravata, mas sim do tamanho do colarinho.

4. Com os nós

Segundo matemáticos, existem mais de 177 mil nós.

Mas fique tranquilo! Você não precisa decorar todos. Na verdade, é preciso conhecer o essencial, que combina com você.

Muitos dizem que o fundamental é conhecer esses 4:

  • nó simples: pequeno, se adapta bem aos modelos skinny;
  • nó duplo: evolução do simples, funciona com praticamente todos os looks;
  • nó semi-windsor: elegante e versátil, é o preferido de muitos ícones da moda, como David Beckham e o estilista Tom Ford;
  • nó windsor: clássico e superformal, exige cuidado na escolha do colarinho (aberto) e gravatas (largas).

Agora ficou mais fácil perceber que combinar gravatas não é nenhum bicho de 7 cabeças. Com algumas dicas e o seu bom gosto, a tarefa se torna fácil e prazerosa.

Se você curte o mundo da moda masculina e quer mais dicas e informações de tendências, não deixe de nos seguir no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Post Relacionado

Deixe seu comentário